Consenso Brasileiro sobre DTM

Este mês foi publicado na revista Dental Press Journal of Orthodontics o texto sobre o Consenso Brasileiro sobre Disfunção Temporomandibular.

A publicação deste texto é um passo importante para a especialidade DTM e Dor Orofacial! Existe no Brasil, e acredito que também em outros países, uma carência de informações, especialmente referentes a diagnóstico e tratamento, sobre DTM (sobre outras dores orofaciais, nem se fala!).

Há desinformação sobre a existência de profissionais treinados para o atendimento ao paciente com sinais e sintomas de DTM, seja por parte do paciente e até mesmo do médico ou cirurgião dentista que referencia o paciente. Equívocos também ocorrem nos tratamentos propostos, com a indicação errônea de ajustes oclusais ou mesmo ortodontia para o tratamento da DTM.

Por que isso acontece? Os culpados somos nós dentistas e as consequências são muitas: em muitos cursos de graduação ainda não há uma disciplina voltada ao estudo da Dor Orofacial; o Ministério da Saúde em seu levantamento sobre saúde bucal ignorou a existência de problemas na região temporomandibular; os critérios de diagnóstico para dor orofacial adotados por diversos centros de formação de especialistas variam muito, o que gera confusão ao se discutir um possível tratamento. Além de tudo isso, ainda convivemos com a dificuldade de custear um tratamento para dor orofacial baseado nas tabelas de coeficientes honorários divulgadas. Como se pode ver em uma tabela de honorários sugerida para Odontologia mais uma vez não há citação à dor orofacial. É claro que cada um planeja o custo do tratamento baseado na situação de seu consultório e cidade onde este está localizado, mas um valor mínimo deveria existir e não apenas um valor para a placa de mordida, que é apenas uma parte do tratamento que nem sempre é necessária (oh herança mecanicista da Odontologia).

Desabafo pessoal: alô, eu não sou Detran, eu não fico só colocando placas!  Aprendam a diagnosticar e não apenas a instalar placas.

A primeira solução para todos os problemas é DIVULGAÇÃO. E é esta a proposta deste texto publicado este mês.

Este texto originou-se de uma reunião realizada durante o Congresso Internacional de Odontologia de São Paulo (CIOSP) em Janeiro de 2010 com a participação de alguns professores e especialistas. A proposta é que uma segunda reunião, com participação mais ampla dos especialistas seja realizada em breve (a princípio em 2011) para um debate e conclusões mais amplos.

Gostaria de informar que os endossadores desta carta (presentes na última parte do texto) são também co-autores.

Ainda, o texto deste post (e todo o blog inclusive) reflete apenas a minha opinião sobre o assunto. Afinal, o blog é um diário, o meu diário.

Desculpe o desabafo (rs…), façam download pelo link abaixo, leiam, reflitam, dêem sua opinião! É apenas um início de um longo debate!

Abraços a todos!

Clique aqui para baixar o texto em arquivo PDF

Clique aqui para acessar um fórum de discussão sobre o assunto.

Um pensamento sobre “Consenso Brasileiro sobre DTM

  1. Pingback: Quando encaminhar o paciente ao especialista? « Por dentro da Dor Orofacial

Os comentários estão desativados.