Sono e dor orofacial

Ano passado adquiri via Amazon o livro Sleep Medicine for Dentists: a practical overview (editado por Gilles J. Lavigne, Peter A. Cistulli e Michael T. Smith). Até então, sem tempo de dedicar a leitura de algo além do mestrado, usei o livro para pequenas consultas.

Semana passada li o livro inteiro e recomendo muito. A leitura é fácil e atual. Como a revisão de livro do Journal Orofacial Pain relatou, este livro traz uma introdução compacta sobre os distúrbios do sono, ideal para quem inicia seus estudos na área.

A revisão sobre o livro (para ler é só clicar!): jop_24_3_bookreview_14

Acho que, mais do que conhecer os distúrbios do sono na intenção de tratá-los, os cirurgiões dentistas, especialmente os especialistas em Dor Orofacial, devem reconhecer em seus pacientes sinais e sintomas que indiquem algum distúrbio que possa prejudicar a qualidade do sono do paciente, e consequentemente influenciar na condição dolorosa.

“Os dados indicam que os clínicos que tratam pacientes com DTM e Dor Orofacial deveriam considerar referir estes pacientes para estudo de seu sono quando a queixa de dor for associada a pobre qualidade do sono, ronco ou outros distúrbios respiratórios como falta de ar, e, ainda mais importante, sonolência diurna”. Svensson et al., 2009.

Na minha opinião, o cirurgião-dentista deveria considerar o relato do paciente com relação ao sono e a partir daí, questionar sobre sinais e sintomas presentes, qualidade do sono e ainda, sonolência diurna. Como está no livro que citei, a sonolência é um elemento chave na investigação e no diagnóstico diferencial de alguns distúrbios do sono como insônia, distúrbios respiratórios do sono e movimento periódico de membros.

Uma forma de  questionar a sonolência é utilizando a escala de sonolência de Epworth, criada em 1991 pelo médico Murray Johns. É fácil encontrá-la na internet.

Sabendo que um sono não reparador pode ser a porta de entrada para um prejuízo da condição dolorosa, inclusive em pacientes refratários, é prudente sempre encaminhar o paciente com sinais e sintomas de sono de má qualidade a uma investigação médica. No site da Associação Brasileira do Sono você pode conferir uma lista dos médicos certificados.

Além disso, é prudente incluir entre as orientações passadas ao paciente, dicas sobre higiene do sono.

Dica do Por Dentro da Dor Orofacial: No Brasil um dos maiores centros de estudo do sono é o Instituto do Sono da Unifesp. No site desta instituição você pode encontrar toda a produção científica do grupo disponível para download gratuitamente! Vale a pena dar uma passadinha por lá!! Clique aqui

E mais!!

Outro livro fantástico é o livro “A Odontologia na Medicina do Sono” . A publicação é de autoria de Cibele Dal Fabbro, Cauby Maia Chave Jr. e Sergio Tufik, com a participação de 15 colaboradores.

A profa. Cibele Dal-Fabbro é uma das pessoas que mais admiro neste meio e tem um conhecimento profundo sobre sono, bruxismo e SAOS. Vale muito a pena ler este livro!

10 pensamentos sobre “Sono e dor orofacial

  1. Ju, depois da sua aula no conclave de Campinas, comecei a usar a escala de Epworth. Sei que é fácil encontrar na internet, mas que tal colocar uma cópia em pdf aqui? 😉
    Abç

  2. Ju, obrigada por ter se interessado na dica que dei em relação a odontologia do sono.
    Como sempre está de parabéns nas informações e todas as fontes que vc nos fornece.
    Mto obrigada!

    Bjs
    De sua fã, Marcela 🙂

  3. Boa tarde! Realmente o livro é muito bom, comecei um curso com PROFESSOR Marcelo Quintela na SL MANDIC.

    Parabéns pelo site.

  4. Pingback: Site do Mês « Por dentro da Dor Orofacial

  5. Pingback: Distúrbios respiratórios do sono X Dor orofacial « Por dentro da Dor Orofacial

  6. Pingback: Avaliação do sono em pacientes com dor orofacial « Por dentro da Dor Orofacial

Os comentários estão desativados.