Rapidinhas: Dia do Bruxismo em Uberaba

Eu sei que estou sumida e só fazendo posts da categoria Rapidinhas, podem brigar comigo!

Nem transmissão no Periscope fiz esta semana… (me segue por lá! @dororofacial)

Para justificar quero contar que estou ajudando na organização de um evento bacana que acontecerá semana que vem aqui no Brasil: o CORE – Colloquium of Oral Rehabilitation. Este ano o tema é Dor Orofacial. Serão dois dias de intensas discussões que gerarão artigos científicos para a revista Journal of Oral Rehabilitation que organiza o evento junto com a Comissão de Ensino e Pesquisa da SBDOF. Ou seja, muita leitura (tenho que ler os quatro rascunhos ainda!!) e trabalho pela frente…

O motivo desta postagem é para contar para vocês que logo depois do CORE, no dia 05/12, estarei em Uberaba junto com minha amiga e bruxpartner Adriana Lira Ortega para mais um Dia do Bruxismo!

DB Uberaba.002

O evento vem se aperfeiçoando ao longo do tempo! Este ano já estivemos em Florianópolis, Belo Horizonte, João Pessoa, São Paulo, Brasília e agora vamos terminar comendo doce de leite Zebu em Uberaba! As palestras estão atualizadas com tudo o que saiu na literatura nos últimos meses (inclusive material online sobre isso). É um dia inteiro para saber mais sobre Bruxismo!

Quer participar? As inscrições estão abertas! 

Fique atento ao local e também ao contato para inscrição:

Data: 05/12 – 8 às 18 hs
Local: Clínica Ortovenâncio – R.Vigario Silva, 471 – Centro, Uberaba MG
Inscrições: (34) 3325-3936 ou (34) 98822-0240 (Whatsapp) com Flávia
Mais informações: ortovenancio@yahoo.com.br

Quer conhecer mais sobre o curso: www.diadobruxismo.com

Curso Aperfeiçoamento em DTM e Dor Orofacial – IEO Bauru

Semana intensa e quente por aqui! Não deu tempo nem de fazer um vídeo mais longo no Periscope (já me segue por lá? @dororofacial)!

Recebi a informação que a procura já começou pelo curso de Aperfeiçoamento em DTM e Dor Orofacial do IEO-Bauru!

Quem acompanha o blog há mais tempo já conhece este curso, não é? Com mais de 10 anos de tradição, professor Paulo Conti está na coordenação deste curso, teórico e clínico.

O curso tem como objetivo oferecer a todos os alunos atualidades com relação a meios de diagnóstico, critérios de classificação, comorbidades e as terapias mais conceituadas de tratamento dentro das disfunções temporomandibulares e dores orofaciais.

Na equipe, além de mim, estão presentes o professor Leonardo Bonjardim, da Fisiologia Oral da FOB-USP (junto com o prof. Paulo Conti, os dois maiores nomes na pesquisa em DTM/DOF do Brasil), Carolina Ortigosa CunhaAndré Porporatti, Yuri Costa, Naila Machado, Fernanda Araújo Sampaio, Dyna Mara FerreiraHenrique Quevedo e o fisioterapeuta César Waisberg, todos membros do Bauru Orofacial Pain Group, para suporte ao curso com aulas teóricas e acompanhamento na clínica.

Além disso sempre temos convidados especiais! Este módulo a professora querida Daniela Godói Gonçalves estará por lá! \o/

O curso tem 11 módulos, de fevereiro a dezembro e todas as datas já estão agendadas! Acontece uma vez por mês, às quintas (8:00 a mais ou menos 20:30 hs) e sextas feiras (8:00 às 18:00).

A quem se destina: cirurgiões-dentistas, fisioterapeutas e fonoaudiólogos. O bacana é que este curso também é voltado para a atualização do especialista em DTM e Dor Orofacial!

Quer saber mais?

Entre em contato com a Vivian no IEO-Bauru pelo telefone 14 32341919 ou site www.ieobauru.com.br

Espero encontrar vários leitores por lá!

Ah! E para quem quer saber sobre a Especialização: nova turma em Abril de 2016!

Conheça também nosso trabalho no Bauru Orofacial Pain Group através da página do Facebook: www.facebook.com/orofacialpain

322361

Eventos em Outubro: AILDC, Jornada de Dor Neuropática e muito mais!

No começo de Outubro acontecerá o Congresso Brasileiro de Dor promovido pela SBED, conforme já relatei aqui no blog.

Mas não será apenas este evento! Dias 22, 23 e 24 de Outubro em Lima no Peru acontecerá a XIX Reunião da Academia Iberoamericana de Disfunção Craniomandibular e Dor Orofacial (AILDC).

aildc

Vou destacar quatro palestrantes deste evento: Professores Gilles Lavigne, Charles Greene, Gary Heir e Paulo Conti! Quase não cito estes quatro em minhas aulas e aqui no blog, né? Entre aqui e saiba mais!

Pois é! É uma oportunidade de ouvi-los!

Fica o convite abaixo:

Outro evento que está agitando outubro é a Jornada de Dor Neuropática promovida pelo Departamento de Neurociências e Ciências do Comportamento da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. Organizado pelos professores José Geraldo Speciali e Fabíola Dach, o evento acontecerá no dia 17 de outubro de 2015, sábado, em Ribeirão Preto.

Vários aspectos serão abordados! Eu já fiz a minha inscrição! E quem é sócio da SBDOF ou SBCe tem desconto!

Mais informações no site do evento: http://www.oxfordeventos.com.br/dorneuropatica

inscrição-antecipada-apoios

Falando nisso…

Também em Outubro, mais precisamente no dia 03 de outubro, eu e a professora Adriana Lira Ortega estaremos em Brasília para o já tradicional Dia do Bruxismo!

Saiba tudo sobre o evento e faça sua inscrição em www.diadobruxismo.com

db bsb

Mais um evento em Setembro: Congresso Brasileiro de Dor

Olá pessoal!

Estou de volta! Tirei um dias para descansar (há controvérsias – turismo cansa) e lembrei que não postei ainda sobre o último evento de Setembro: o 12o. Congresso Brasileiro de Dor!

O evento será em Curitiba (a capital da Dor neste ano, rs), de 30/09 a 03/10. O congresso é multidisciplinar, abordando dor em todos os aspectos, com programação extensa.

Este é o Ano Mundial contra a Dor Neuropática e as localizadas na região orofacial serão abordadas em uma sessão especial no Pré Congresso que acontecerá na  quarta-feira no dia 30/09. Os temas abordados serão: o cenário da Dor Orofacial Neuropática, a Neuralgia do Trigêmeo e qual o papel da Odontologia, dor facial complexa e um workshop sobre os passos da avaliação ao tratamento do paciente com Dor Neuropática Orofacial.

Vários professores estarão presentes, entre eles Marcelo Mascarenhas, José Siqueira, Eduardo Grosmann, Wladmir Dal Bó, Silvia SIqueira, Aleli Oliveira, José Speciali, Luci Mara Correia, Carlos Parada, Daniel Ciampi, José Stechman, Wagner Hummig, Samara Vasconcelos, Maurício Kominsky entre outros!

Destaque para o professor Paulo Conti que estará no evento representando a FOB-USP e o Bauru Orofacial Pain Group (grupo no qual participo) e promete mostrar um pouco das pesquisas e dos atendimentos clínicos que realizamos em Bauru! Não percam!

Sugiro que entrem no site e vejam toda a programação!

Falando em congresso e falando em Curitiba…

Amanhã começa o Congresso Brasileiro de Cefaleia que já mencionei aqui. Mas não contei de uma iniciativa bem bacana: a sessão para leigos!

Avisem seus amigos, parentes, pacientes e colegas que durante o congresso acontecerão sessões abertas ao público para que perguntas possam ser realizadas a especialistas na área de dor de cabeça, disfunção temporomandibular, dor neuropática e etc. Ótima oportunidade para esclarecer todas as dúvidas.

11924539_631548790320136_944416267635902946_n

Ah! E sexta-feira agora (04/09), no intervalo do Congresso de Cefaleia à tarde, vou tentar fazer uma transmissão via Periscope direto de lá! Fique ligado! para seguir: @dororofacial

Curso Atualização DTM/DOF em Bauru

Sempre encontro colegas que me perguntam a respeito de cursos de atualização/especialização. Eu participo de alguns cursos e mantenho uma página aqui no blog dedicada a divulgá-los.

Este mês começaram as inscrições ao curso de atualização em DTM e Dor Orofacial do IEO-Bauru. Este curso é coordenado pelo Prof. Paulo Conti e conta com a participação de todo o grupo de Dor Orofacial da FOB-USP. São 11 módulos, uma vez por mês, às quintas e sextas feiras, com amplo atendimento a pacientes (só não trabalha quem não quer!) com casos envolvendo DTM e também outras dores orofaciais, como as neuropatias pós tratamento odontológico.

Eu acho que este curso é ideal não só para o dentista que quer ter um primeiro contato com a área, mas para quem já é especialista e busca se atualizar, já que a cada ano a ciência evolui e os resultados mais recentes são apresentados nas aulas teóricas e práticas. Também está aberto a todos profissionais da saúde interessados na área.

Para quem se interessar (valores, calendário, etc), entrem em contato com a Vivian pelo telefone (14) 32341919 ou pelo site www.ieobauru.com.br

folder ieo 2015.001

Falando nisso….

E por falar em se atualizar, a Sociedade Brasileira de DTM e Dor Orofacial (SBDOF) já lançou as datas e local do próximo congresso! Eu vou! E… bem, ainda não posso contar. Aguardem as novidades!

sbdof II CDBO_000001

#chateada

Olá pessoal! Pois é, fiquei um tempão sem escrever aqui no blog e resolvo iniciar o ano com um título de postagem deste: chateada.

Juro que tentei mas não consegui trocá-lo. É o que estou sentindo agora ao ler a programação oficial do CIOSP (Congresso Internacional de Odontologia de São Paulo), o maior congresso de Odontologia do Brasil.

Por que?

Bem, folheie atentamente o jornal que recebi hoje em busca de algum curso, palestra, citação sobre a especialidade Disfunção Temporomandibular (DTM) e Dor Orofacial. Sabe o que encontrei? NADA.

Significado de Nada (http://www.dicio.com.br/nada/)
s.m. A não-existência, o que não existe; o vazio: depois da morte, o nada.
Coisa nula, sem valor; bagatela, ninharia, inutilidade, nonada: mãos habilíssimas que convertem nadas em verdadeiras jóias.
Filosofia. Categoria filosófica que representa o não-ser, a ausência de existência: a principal obra filosófica de Sartre é “O ser e o nada”.
Pron. indef. Coisa alguma, nenhuma coisa (por opos. a tudo): não há nada dentro da gaveta.
Alguma coisa, algo (em perguntas, embora raramente): há nada mais natural que os extremos opostos se atraírem?
De nada; por nada, não há de quê; não tem de quê (usados como resposta cortês às fórmulas de agradecimento “obrigado”, “muito obrigado”, “agradecido” etc).
loc. adj. De nada, insignificante, irrisório, que merece pouca consideração, que inspira pouco ou nenhum temor ou respeito: homenzinho de nada.
Nada mau, melhor do que se esperava, razoável.
Nada bom, nem um pouco bom, péssimo.
Nada feito, em vão, inutilmente.
Nada disso!, de forma alguma, de jeito nenhum.
Nada de novo, nenhuma novidade.
loc. adv. Antes de mais nada, primeiramente, em primeiro lugar, antes de tudo.
loc. adv. Por nada; por um nada; por um triz, por pouco.
loc. adv. Há nada, ainda há pouco, ainda agora, há pouco tempo atrás: há nada, vi-o passar.
loc. adv. Nada obstante, não obstante, todavia.
loc. conj. Nada menos, contudo, todavia.
Nada de; nada mais de, não convém, não se deve, não é bom.
Não servir de (ou para) nada, ser perfeitamente inútil, não ter serventia.
Não prestar para nada, não ter préstimo, utilidade ou aplicação.
Não se dar nada a alguém com (ou de) alguma coisa, não lhe importar, ser-lhe indiferente: já não se lhe dá nada de que o chamem de bêbedo.
Ter em nada, estimar em nada, não dar apreço, não considerar valioso.
Não ter nada a ver com (um fato, uma situação, uma pessoa), não estar envolvido em ou com, não ter responsabilidade ou culpa alguma.
Não ser nada (de uma pessoa), não ser parente ou amigo dessa pessoa, não ter laço ou compromisso com ela.
Não ter nada de, não ser, e muito pelo contrário, nem sequer parecer.
Vir do nada, ser de origem humilde, de baixa extração.
Bras. Pop. Não ser de nada, ser um conversa-fiada, não ser capaz ou não ter o hábito de cumprir as ameaças que faz ou os desígnios em que se empenha.
 

NADA.

Tudo bem que você aí pode dizer, ah, mas DTM e Dor Orofacial não é uma especialidade assim tão popular como as demais. Meu amigo João Padula sempre me lembra que estamos na segunda divisão do Brasileirão. Mas estamos lutando e acho que, assim como a Portuguesa, não deveríamos aceitar estar nesta situação!

E não é uma especialidade popular para quem não sofre com algum problema de Dor Orofacial.

Eu recebo TODOS os dias emails de pacientes desesperados por ajuda. São do Brasil, Portugal, Angola, Cabo Verde, etc. Todos buscam auxílio, indicação e tirar dúvidas. Muitas vezes não sabem a quem recorrer quando apresentam ardência bucal. Outras vezes foram ao dentista que para tratar um estalo ou dor de cabeça sugere aos pacientes uma correção da oclusão, o que falha e frusta. Por que os recebo? Porque a maioria dos meus colegas da classe odontológica não se informa, não se interessa e não se atualiza sobre esta especialidade.

Daí, como é que faz?

Nem no principal congresso de odontologia teremos espaço este ano! É preciso espaço todos os anos. E pior, depois, na feira odontológica, claro que as empresas que vendem aquelas placas pré fabricadas ou a toxina botulínica estarão ali vendendo seus produtos para os dentistas que não sabem realizar diagnósticos mas já querem o tratamento. E os emails que recebo assim: o que você acha do uso desta ou daquela técnica? E respondo: para qual diagnóstico? e me respondem: para dor na face. 😦 mas isso é um sintoma meu colega…

É ou não é? #chateada.

Se você é dentista, mas ainda não está habituado a esta especialidade (a maioria dos que graduaram até hoje não viram isso na faculdade, não é? A culpa não é sua!), ajudem a pelo menos 7% da população que procurará tratamento: se atualize! Aqui na página há um link para cursos e eventos  na área, caso precise de inspiração. 🙂

Se você é paciente, não desanime, conheça os profissionais associados a SBDOF – Sociedade Brasileira de DTM e Dor Orofacial. No site há uma lista dividida por regiões. São profissionais que já se especializaram nesta área. Aqui o link: http://sbdof.com/procure-um-especialista/ E podem me escrever que tento na medida do possível, encaminhá-los a colegas e centros de atendimento.

Se você é meu leitor assíduo, desculpa por começar o ano com este post chato. Assim que conseguir analisar todos os dados da minha pesquisa (sim, estou estudando…), volto com tudo à este espaço!

E enquanto puder, vamos fazer barulho! Vamos dizer a todos que estes problemas de dor orofacial tem diagnóstico e controle! Que bruxismo não é DTM! Que não é um tratamento para correção da oclusão que melhorará a dor de cabeça! Que existem vários tipos de dor de cabeça! Que ardência bucal precisa de diagnóstico, pois são várias condições que levam a este sintoma! Que a gente existe! E que podemos proporcionar uma melhora na qualidade de vida do paciente, ufa…

E sim, vou ao CIOSP! Se você também vai, vamos tomar um café? Prometo que não toco neste assunto chato! 🙂