Diário de dor

Um dos hábitos que eu adquiri com a convivência com os neurologistas do Ambulatório de Cefaleia e Algias Craniofaciais (ACEF) do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto foi o uso do diário de dor.

Eu acho que é uma ferramenta interessante para a clínica de Dor Orofacial e seu uso ajuda principalmente no diagnóstico diferencial e também na evolução do paciente.

Muitas vezes o paciente apresenta mais de um tipo de dor e se confunde ao ser entrevistado. Assim, solicitar que o paciente preencha um diário de dor durante um período, descrevendo características como localização, intensidade, duração, qualidade, fatores de piora, melhora e desencadeantes ajuda, e muito, no diagnóstico.

Existem inúmeros tipos de diários. Quando frequento os congressos da Sociedade Brasileira de Cefaleia (SBCe) sempre procuro junto aos estandes dos laboratórios farmacêuticos que cedem diários já impressos. A partir deles faço adaptações para a dor facial. Também tenho um próprio para acompanhamento da evolução do paciente.

No site do Headache – The journal of headache and pain, há um diário bem simples mas funcional, traduzido para o português pelo Prof. Dr. Marcelo Valença. Nele acrescentei uma coluna sobre dor facial. Para pacientes com dificuldade de compreensão, é de grande valia e me permite verificar quantas crises de dor facial e/ou cefaleia o paciente teve, se vieram juntas, se ele fez uso de medicamento analgésico e se foi eficaz!

Quando encaminho o paciente para o neurologista para verificação da cefaleia, explico e peço que leve o diário preenchido, o que facilita também para o médico. Então utilizo os diários mais completos que fornecem todo o tipo de informação. O modele que mais utilizo, neste casos é o que está abaixo:

Há também diários com desenhos do crânio para que o paciente localize a dor e atribua a intensidade, útil quando a dor ocorre em diferentes locais e por aí vai…

Na Internet encontrei alguns diários interessantes, de simples a extremamente complexos. Aqui os resultados do Santo Google!

Foi lá que encontrei o site doRoberto Machado, que sofre com cefaleias, e que desenvolveu uma planilha para aqueles que preferem preencher no computador. O download pode ser feito aqui.

Agora, quem me conhece sabe que adoro tecnologia, já até escrevi sobre isso aqui. Acho que os tablets e os smartphones estão aí para serem utilizados a nosso favor!

Para os pacientes mais antenados, já há aplicativos de diários de cefaleia para iPhone, iPad e iPod, BlackBerry, Windows Mobile e também para Android (meu preferido, rs…)! Ainda não encontrei nenhum aplicativo para dor facial, infelizmente, somente para cefaleia, e ainda todos estão em inglês. Mas como o tempo passa rápido para a tecnologia, espero que logo logo apareçam aplicativos úteis para nós!

Segue abaixo algumas sugestões:

iHeadache – Headache & Migraine Diary -aplicativo pago para sistemas da Apple e BlackBerry

Aplicativo do Headache Center of North Texas – gratuito para iPhone

Headache Diary Lite – versão gratuita para iPhone

Headache Relief Diary 4.0 – para iPhone e iPod Touch – gratuito

Headache Journal Free – aplicativo gratuito para Android – eu uso este. Sim, eu tenho migrânea…

My Headache Log Pro – aplicativo gratuito para Android

Migraine Tracker – aplicativo gratuito para Android. Na versão paga, Pro, permite enviar por email ou exportar o diário para o médico.

Aplicativo Headache Diary – para Android – versão gratuita Lite e paga Pro

Headache Diary 5.9 – para Windows Mobile  – pago

Não achei nada para Symbian… Alguém sabe de algum?

Vocês utilizam também o diário de dor como ferramenta auxiliar ou de acompanhamento de evolução do paciente no consultório? Tem sugestões? Deixe seu comentário!

Um pensamento sobre “Diário de dor

  1. Só para registrar que quem elaborou este modelo de diário fui eu. Dra. Luciana Neves.
    Abraço a todos!

Os comentários estão desativados.