Homeostase e a posição mandibular

Esta semana me deparei com a figura da página Doutor, tenho Dor no facebook:
10458859_1462303670735533_4457624475327463704_n
O André Porporatti colocou o seguinte texto abaixo da figura:
Uma revisão sistemática da literatura englobou 20 pesquisas diferentes e concluiu que intervenções cirúrgicas não apresentam diferenças nos resultados quando comparadas com terapias conservadoras habituais (não-cirúrgicas) para deslocamento do disco da articulação da mandíbula (disco articular da ATM)

Obviamente, cada caso tem que ser estudado individualmente. E sim, há possibilidades e indicações cirúrgicas para problemas na articulação da mandíbula.

Procure um profissional especialista em DTM e Dor Orofacial.
Referência: Al-Baghdadi M et al. TMJ Disc Displacement without Reduction Management: A Systematic Review. Journal of Dental Research (2014)

Mesmo não abordando especificamente casos cirúrgicos, nem mesmo uma DTM específica, isso me fez lembrar que prometi escrever sobre o trecho final do artigo publicado pelos autores Charles Greene e Ales Obrez na revista Triple O:
Na parte final os autores questionam a real necessidade de reposicionar a mandíbula em casos de deslocamentos de disco em ATM como prevenção em indivíduos assintomáticos e mesmo tratamento para  pacientes com DTM. Os autores enfatizam a necessidade de conhecermos a biologia do sistema mastigatória e como ele funciona ao longo do tempo, especialmente a sua capacidade de adaptação (processo de homeostase). Claro que não negam a existência da degeneração em alguns pacientes (quando o estímulo excede a capacidade adaptativa), e a necessidade de tratamento destes pacientes, mas relatam que de modo geral este sistema funciona de maneira equilibrada, mantendo a mandíbula em uma posição apropriada em relação à maxila (oclusão) e o crânio (ATM).
Remodelação é o termo utilizado para falar sobre o equilíbrio entre a forma e a função.
A remodelação na ATM acontece por mudanças na composição celular das camadas fibrosas articulares da cabeça da mandíbula (condilo) e eminência articular. As células como fibrócitos são eventualmente substituídas por células cartilaginosas. Como as mudanças maxila-mandibulares ocorrem ao longo do tempo com desgaste dentário ou perda dentária, a força aplicada sobre a ATM aumenta e a espessura dos tecidos articulares muda em conformidade a nova situação. Os locais onde a remodelação da ATM ocorrem mais frequentemente são os aspectos posteriores e laterais da cabeça da mandíbula. Estas mudanças acontecem, na maioria dos casos, sem qualquer processo patológico e são indolores. A ATM remodelada também é capaz de continuar sua função apesar da quantidade e localização da pressão biomecânica  Isso explica as diferenças e variações observadas em ATMs tanto no mesmo indivíduo como em pessoas diferentes (e faz refletir se a relação cêntrica existe de forma igual para todos, não?).
A oclusão dentária tem papel crucial nesta remodelação, uma vez que é importante reconhecer que qualquer mudança permanente na morfologia oclusal afeta o crescimento, desenvolvimento e a remodelação tanto da ATM como também dos músculos mastigatórios. A relação entre a ATM e a oclusão em qualquer indivíduo é produto da capacidade adaptativa ao longo da vida. Podemos observar bem este conceito e o quanto o sistema mastigatório se adapta favoravelmente quando várias intervenções irreversíveis são realizadas como ortodontia, reabilitação oral ou cirurgia ortognática.
Mas e sobre o conceito de reposicionar a mandíbula como abordagem preventiva ou terapêutica para DTM? Os autores após toda explanação sobre homeostase afirmaram que se as relações oclusais, musculares e entre côndilo-fossa estão constantemente se adaptando à função atual do sistema mastigatório, então cada relação apresentada pelo indivíduo é, na ausência claro de degeneração e dor, uma relação biologicamente correta.
Assim o termo “má posição mandibular” não deve ser utilizado para explicar a etiologia de uma DTM e assim ser a indicação para uma terapia reposicionadora irreversível, ou seja, não preenche o primeiro critério de necessidade biológica (leia o post anterior para os critérios) que diz que a condição a ser tratada deve ser válida e reconhecida como um problema de saúde.
Os autores também citam algo que para mim foi bem interessante: é importante hoje avaliar os estudos que mostram técnicas para tratamento de DTM com sucesso a luz da homeostase, ou seja, não esquecendo a história natural da condição. Muitos dos estudos realizados hoje deixam este aspecto de lado e supervalorizam as técnicas. (para se pensar…)
Quanto maior a informação relacionada a etiologia e patofisiologia das DTM, especialmente o reconhecimento das disfunções musculares, estiver disponível, mais ficará claro que a taxa de custo/benefício da abordagem conservadora significantemente aumentará. Os autores encerram o artigo relatando os protocolos de tratamento conservadores e enfatizando o custo financeiro que muitas vezes o paciente arca com tratamentos irreversíveis, sem benefício superior.
Infelizmente hoje ainda não há estes clínicos, técnicos ou exames de imagem que possam dizer que o paciente necessite de uma abordagem como esta na prevenção de DTM (os testes são muito sensíveis mas pouco específicos!). E isso chama a atenção e cruza com o que o André citou lá na figura acima, que nem todo o disco precisa ou até mesmo, deve ser recapturado. Bem, tentei passar alguns trechos desta revisão complexa porém reflexiva sobre os aspectos que envolvem uma técnica muito utilizada ainda.
Como eu relatei, destaquei só alguns pontos, para dar um aperitivo e para que vocês busquem ler mais sobre respeito a isso (também vou fazer isso!).
Bom final de semana!! 🙂
 

Vamos nos atualizar!

As pessoas sempre me perguntam como faço para estudar ou me manter atualizada sobre os assuntos ligados à Dor Orofacial e hoje resolvi contar um pouco sobre esta rotina!

Primeiro, sou frequentadora do site PubMed. Antes de ministrar uma aula, de escrever algo aqui, de uma reunião de pesquisa, de postar algo no Facebook (ou qualquer rede social) passo por lá e vejo os últimos trabalhos publicados sobre o assunto. Além disso, o site tem uma ferramenta para que possamos programar o envio de emails sempre que um artigo for publicado dentro da busca em que você faz.

Por exemplo, programei há anos (desde quando fiz especialização) para que me enviassem alertas quando um artigo novo fosse publicado com as palavras chave: fibromyalgia and temporomandibular and disorders. Pronto, não passa um sem eu ter visto. Claro que nem tudo me interessa e nem tudo eu consigo ler, mas aqueles realmente interessantes não deixo de ver! Para que você também faça sua busca, salve seus favoritos e etc, é preciso fazer um cadastro (está escrito Sign in NCBI). Facilita muito a vida!

Outra forma de se manter atualizado é escolher as revistas de maior impacto na sua área de atuação e fazer um cadastro para receber um alerta sobre os artigos recentemente publicados. (Leia aqui sobre Fator de Impacto) Bem, confesso que recebo estes emails mas muitas vezes deleto sem ver… A tal falta de tempo… Mas da revista Pain eu não deixo de abrir!

No Facebook também há uma forma de separar o joio do trigo e ver apenas coisas bacanas publicadas. Curto algumas páginas relacionadas a Dor Orofacial e as deixo na minha lista de interesses (veja aqui como fazer isso).Assim tenho acesso ao que realmente me interessa lá. Algumas das páginas que estão por lá: Bauru Orofacial Pain Group; Dia do Bruxismo; Dor On-line; Gapedoc; Neurociências aplicadas a longevidade, reabilitação e aprendizagem; Sociedade Brasileira de DTM e Dor OrofacialNeuroscientist NewsNeuroscience ResearchersDor orofacial baseada em evidências; SBED – Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor; Cefaleia web, entre tantas! 

A última ferramenta que tenho utilizado é o site Pain Research Forum. Neste há uma coluna (Paper of the Week) onde estão os últimos artigos publicados sobre dor, escolhidos pelo editor do site e pela American Pain Society, em uma determinada semana. É preciso verificar pelo título pois nem todos são relacionados a nossa área (mas não menos interessantes) e ainda, se a palavra Article estiver logo abaixo é sinal de que o acesso ao artigo é gratuito! Logo abaixo alguns títulos dos artigos que escolhi nesta lista esta semana (gratuitos!):

Ei, tem alguma dica de site e quer contar para todo mundo? Deixe seu comentário!

Falando nisso…

Estamos com inscrições abertas ao Curso de Atualização em DTM e Dor Orofacial em Florianópolis na ABO-SC! O curso é coordenado pelo Prof. Paulo Conti e por mim e conta com professores convidados. Serão 10 módulos, com aulas teóricas e muita clínica. Começa no final de Junho. Para mais informações, acesse o site www.dor.odo.br

folder floripa.001

Sorteio das 3000!

Nunca imaginei isso mas ontem alcançamos a incrível marca de 3000 pessoas curtindo a página do blog no Facebook!

3000!

(aliás agora já somos mais de 3050!)

Vocês nem imaginam o quanto fiquei feliz! \o/

3000.005

E para comemorar faremos um sorteio! Quando chegamos a 2000 curtidas recebi alguns emails reclamando que o sorteio deveria ser direcionado a quem curtia a página. Pois bem, acatei as sugestões e então o sorteio tem como regra principal: curtir a página do Facebook. Para isso tem uma janela a esquerda deste quadro ou você pode entrar no link: www.facebook.com/dororofacial

E o que vai ser sorteado??

A Livraria Florence gentilmente cedeu um livro sobre dor orofacial para ser sorteado (obrigada!!!).

Eu pude escolher o livro (\o/) e optei por Dor Orofacial: da ciência básica à conduta clínica dos autores do qual sou fã: Barry Sessle, Gilles Lavigne, James Lund e Robert Dubner.

O livro é de 2010 e está em sua segunda edição.

Para ver o conteúdo do livro, suas seções e capítulos, clique aqui.

A Livraria Florence tem em seu catálogo vários livros sobre dor orofacial à venda. Entre eles o ótimo livro Dor Orofacial entre Amigos – uma discussão científica – do Prof. Antônio Sérgio Guimarães e o sempre clássico livro Tratamentos das Desordens Temporomandibulares e Oclusão do Prof. Jeffrey Okeson.

Então vamos lá pessoal! As regras são claras:

Basta  preencher com nome e email o formulário ao final desta postagem e ter curtido a página do blog no Facebook (www.facebook.com/dororofacial).

Cada comentário recebe um número e é através deste número que você irá concorrer.

Não se preocupe, o endereço de email aparece apenas para mim e é através dele que entrarei em contato com o sorteado para enviar o livro.

Cada pessoa pode participar apenas uma vez.

O sorteio será realizado no dia 03 de agosto de 2013. O número será escolhido de forma aleatória pelo Random.org !

Boa sorte!!!!!

SORTEIO ENCERRADO!

Falando nisso….

A página Dor Orofacial baseada em Evidências avisa que também está realizando um sorteio comemorativo às mil curtidas! Parabéns ao pessoal da página! Eles estão sorteando no próximo sábado o excelente  livro Disfunções temporomandibulares: esclarecendo a confusão do professor Reynaldo Leite Martins Jr. Aí gente, mais uma oportunidade! Saiba como participar visitando a página em  www.facebook.com/dororofacialevidencias

Eu estou participando já, fazendo figas para ganhar! 🙂

E aproveite…

Não deixe de seguir o blog nas demais redes sociais:

Twitter: www.twitter.com/dororofacial

Instagram: www.instagram.com/dtmdororofacial

Tumbrl: http://dororofacial.tumblr.com/

Novo post: vídeo sobre autorregulação trigeminal

Postei hoje mais cedo no Facebook (já curtiu a página? Não? Vá lá! www.facebook.com/dororofacial) sobre um vídeo que adquiri e fiz download. É uma ótima ferramenta para orientação de pacientes com DTM. Eu adorei!

Como muitos me perguntaram sobre ele, pedi então que o colega André Porporatti, um dos idealizadores deste vídeo, escrevesse sobre o mesmo. Segue abaixo:

O vídeo da Terapia de Autorregulação do Sistema Trigeminal foi lançado com o intuito de fornecer uma ferramenta de apoio ao cirurgião-dentista capacitado no atendimento de pacientes com Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial. Seu objetivo é, através de imagens, orientações e dicas para o auto-estudo, sugestionar ideias e transformações na vida de nossos pacientes, promovendo assim uma melhor qualidade de vida.

Esta terapia se constitui de 7 passos simples

Sucintamente estes passos incluem:

1)   Como evitar hábitos deletérios

2)   Não sobrecarregar músculos e articulações

3)   Manter boa postura

4)   Fazer alongamentos dos músculos cervicais.

5)   Termoterapia.
6)   Dicas para um sono melhor

7)    Incentivo à pratica de  exercícios físicos

Trata-se de um vídeo simples com a duração total aproximada de 8 minutos e com tamanho de 30 MB que pode ser regravado e  distribuido aos pacientes como forma de auto-estudo caseiro.

Lembrando que o nosso objetivo é melhorar a qualidade de vida destes pacientes.

Obrigado!

Para maiores informações entre em contato pelo email com

André Porporatti

andreporporatti@yahoo.com.br

 O vídeo pode ser adquirido pelo site: http://uploadnsell.com/buy/gRuyEy
Abaixo uma amostra do mesmo:

Aplicativo para iOS e Android

Eu adoro tecnologia e as possibilidades que ela nos traz #fato. Já escrevi aqui quando comprei meu primeiro smartphone com o sistema Android sobre o site da Bia Kunze, dentista e consultora de tecnologia móvel (a Garota sem Fio, excelente site, visitem!) e as dicas de aplicativos para produtividade.

Eu mudei de plataforma, agora entrei para a fazendinha da Apple mas continuo usando alguns dos aplicativos que citei lá como o Dropbox (amo!!) e o Evernote.

Hoje na página do Facebook do blog (www.facebook.com/dororofacial – já curtiu?) o colega Genivaldo Junior postou sobre um aplicativo sobre Trigger Points (pontos gatilhos miofasciais). Corri para ver do que se tratava e achei bem bacana!

Esclarecimento: o texto abaixo não é promocional, ou seja, ganhei nada para fazer propaganda. Se bem que seria bom! rs…

O site traz todos os aplicativos disponíveis tanto para a plataforma iOS (iPad, iPhone, iPod) como Android (smartphones e tablets).

O aplicativo citado pelo Genivaldo é este:

Segundo o desenvolvedor este aplicativo é uma referência para os pontos gatilhos e seus padrões de referência para mais de 70 músculos e 100 pontos! Cada músculo inclui o padrão de referência visual e a localização do ponto, e mais comentários. Há opções de visualização: todos os músculos ou área específica, o que pode auxiliar no diagnóstico da fonte da dor.

Achei prático! Melhor do que imprimir uma folhinha com os pontos. Neste caso eles estarão sempre a mão. Além disso, quando nos tablets (iPad ou Androids) a visualização por parte do paciente será ainda melhor!

O site ainda reúne outros aplicativos, principalmente para o estudo da anatomia.

Bacana, não? Alguém já testou e está usando na prática?

 

Falando nisso…

Quem já acessou o blog através do iPad? Para quem não sabe há um visual somente para esta plataforma! A primeira vez que eu vi eu adorei. Pena que não dá para transportar para os navegadores padrões.

Abraços a todos e não esqueçam de solicitar que seus pacientes se agasalhem, se não, com este friozinho, será uma avalanche de piora da dor musculoesquelética!!! 😉

 

Aos pacientes: caminhada Pare a Dor

Mais uma dica para os pacientes, agora para aqueles que moram em São Paulo. A SBED (Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor), com apoio da Zodiac, promove a Campanha “A dor para a vida das pessoas. Pare a dor”, cujo objetivo é conscientizar a população de que sentir dor não é normal, que ela pode e deve ser tratada de forma correta, além de criar discussões sobre o assunto entre a classe médica.

Uma das iniciativas desta campanha é a caminhada Pare a Dor. Já falamos sobre ela aqui em outubro do ano passado, mas este ano ela foi aprimorada e está acontecendo todas as quintas feiras no Parque Ibirapuera. Para participar basta chegar lá e se juntar ao grupo! Fantástico, não? São 5 km de caminhada com supervisão profissional. Se eu morasse na capital daria um jeito de participar.

Aos profissionais da saúde de São Paulo, informem seus pacientes desta iniciativa.

Abaixo o comunicado oficial!

A SBED (Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor), com apoio da Zodiac Laboratório Farmacêutico, promove a Campanha “A dor para a vida das pessoas. Pare a dor”. Entre as ações da campanha, aCaminhada Pare a Dor, que acontece todas as quintas e sábados no Parque do Ibirapuera e que proporciona aos participantes a prática de atividades, proporcionando a melhora da respiração, força, flexibilidade, da conscientização da postura adequada e o auxilio à reintegração profissional e social dos que sofrem com a dor crônica.

Caminhada Pare a Dor acontece todas as quintas e sábados, no Parque do Ibirapuera, zona sul da capital paulista. A ação conta com a supervisão, apoio e acompanhamento de um personal trainer e fisioterapeuta. O evento é aberto ao público em geral. Para participar, basta chegar ao local, no Portão 7 – acesso pela Av República do Libano – do parque e se juntar aos participantes. A caminhada tem aproximadamente cinco quilômetros, seguida de alongamento.

Para mais informações sobre as ações e atividades da Campanha Pare a Dor existem dois canais de interação: o Facebook e o Twitter, onde pacientes e médicos podem acompanhar noticias e interagir com o grupo Pare a Dor.

Siga Twitter @pareador Facebook www.facebook.com/pareador

SERVIÇO:

O que: Caminhada Pare a Dor – ação da Campanha Pare a Dor

Local: Parque do Ibirapuera, Portão 7 – Acesso pela av. República do Líbano

Quando : Todas as quintas e sábados, às 8h30

Quem: SBED e Zodiac

Sorteio!!!

Oba! Notícia boa! No sorteio de aniversário do blog, quem ganha o presente é você!!

E olha que presentão: um ebook do livro Dores Orofaciais: diagnóstico e tratamento dos professores José Tadeu Tesseroli de Siqueira e Manoel Jacobsen Teixeira.

Recentemente eu comentei sobre o livro aqui. E a cada dia que leio um trecho, gosto ainda mais desta publicação! 🙂

A versão que iremos sortear aqui é virtual, ou seja, para leitura em tablets, e-reader, smartphones ou computador. A palavra eBook é uma abreviação de electronic book (livro eletrônico). Trata-se de uma obra com conteúdo semelhante ao da versão impressa, disponível em uma mídia digital e com características de interatividade inexistentes na versão em papel.

Eu tenho a versão impressa e confesso que fiquei com inveja de quem vai ganhar esta versão pela praticidade que a mobilidade oferece.

Este sorteio é um oferecimento da Editora Artes Médicas. Para acessar o ebook é necessário instalar o aplicativo Bookshelf. Saiba mais sobre como instalar e ler o livro aqui.

E como faz para participar????

As regras são simples! Basta deixar preencher com nome e email o formulário ao final desta postagem.

Cada comentário recebe um número e é através deste número que você irá concorrer.

Não se preocupe, o endereço de email aparece apenas para mim e é através dele que entrarei em contato com o sorteado para que a editora envie o ebook.

Cada pessoa pode participar apenas uma vez.

O sorteio será realizado no dia 21 de abril. O número será escolhido de forma aleatória pelo Random.org !

Boa sorte!!!!!

E obrigada a Editora Artes Médicas – para quem quer curtir – www.facebook.com/artmededitora e para quem quer seguir: www.twitter.com/artmededitora.

Entendendo dor em 5 minutos

Esta semana vi no Facebook das minhas amigas fisioterapeutas Gabriela Carvalho e Harumi Nagamine um vídeo muito bacana sobre dor. Fui pesquisar na internet e descobri que o vídeo foi realizado para uma pesquisa sobre compartilhar conhecimento sobre dor pelo You Tube.

O vídeo é ótimo e vale a pena gastar os 5 minutos assistindo.

Abaixo as versões em inglês, com legenda em inglês e com legenda em espanhol. Para conhecer a pesquisa, clique aqui: http://survey.gpnsw.com.au:8080/survey/entry.jsp?id=1315307771557

Bom sábado a todos!!

Estudo OPPERA sobre Disfunção Temporomandibular

Em maio deste ano escrevi aqui sobre os resultados preliminares do estudo OPPERA sobre disfunção temporomandibular.

Hoje no facebook (curta a página do blog aqui!) vi que o colega José Luiz Peixoto Filho avisou que estes resultados foram publicados em uma série de artigos na revista Journal of Pain com acesso gratuito.

Vale a pena conferir!

Para quem quiser fazer download, este é o link: http://www.jpain.org/issues?issue_key=S1526-5900%2811%29X0013-5

 

 

 

Site do mês

E depois de pular alguns meses, eis aqui de volta a coluna mensal do blog: Site do Mês! E a dica deste site veio pelo colega João Paulo Tanganeli através do grupo DTM e Dor Orofacial no Facebook.

E é uma verdadeira aula o site Aula de Anatomia! Este site é coordenado por três rapazes do Rio Grande do Sul (vê-se pela bandeirinha logo acima do site) do laboratório de Anatomia Humana da FEEVALE: Jonas Edison Wecker, fisioterapeuta; Marcelo Soares, educador físico; e Douglas Lenz Nemos, anatomista.

Para quem está estudando agora ou revisando a anatomia, o site descreve todos os sistemas com figuras esquemáticas em português. Ainda oferece um teste de conhecimento, estudo dirigido e artigos sobre ensino da anatomia. Bem completo! No site também vocês podem conferir a nomenclatura atual utilizada na anatomia. Por exemplo, forame mentoniano agora é forame mentual. Confiram!