Mais do mesmo…

Há algum tempo eu costumo pregar que não devemos imprimir tudo o que vamos ler e sigo isso para quase tudo. Quase porque há artigos que simplesmente não consigo ler na tela. Preciso pegar, grifar, anotar, folhear, ler de novo (sim, eu sei que existem programas para isso e uso sempre!)…

Os artigos ficam ali à mão. Já foram muitos para a reciclagem mas alguns ficam por anos e anos.

Um deles faz parte de um fascículo da revista Journal of Oral Rehabilitation que saiu em 2008 sobre bruxismo. Já cansei de citar este número aqui no blog.

Hoje estava estudando sobre o tratamento do bruxismo em crianças para uma futura postagem (aguardem!! rs…) e folhei pela milésima vez o mesmo artigo de revisão Principles for the management of bruxism (Lobbezoo, Zaag, van Selms, Hamburguer e Naeije) encontrei parágrafos inteiros que gostaria de dividir com vocês.

Me perdoem voltar ao tema recorrente, bruxismo (daqui a pouco o blog vai se chamar Por Dentro do Bruxismo do Sono) mas eu adoro o assunto e é até tema do doutorado!

Sobre terapias oclusais no tratamento do bruxismo do sono:

Greene et al. (2005) foi ainda mais explícito ao afirmar que o ajuste oclusal “… mutia mais a dentição além dos danos já causados pelo bruxismo. Este é o clássico exemplo da utilização abusiva de um procedimento irreversível com nenhum evidência de seu valor terapêutico”.

Ainda sobre terapia para bruxismo:

Não há evidências na literatura que suportem o uso de intervenções oclusais irreversíveis como equilíbrio, reabilitação ou alinhamento ortodôntico para o tratamento de bruxismo.

Sobre o uso de placas de silicone:

Embora o conceito de placas macias seja atraente, placas rígidas são geralmente preferidas por razões práticas (por exemplo as placas de silicone são mais difíceis de ajustar), prevenir movimentos dentários inadvertidos, e porque sugere-se que as placas rígidas são mais efetivas na redução da atividade do bruxismo do que as placas macias.

Sobre as placas pré fabricadas (como estas vendidas nos congressos):

Mais pesquisa é necessária para se avaliar a eficácia e segurança destas soluções não convencionais antes da sua aplicação na clínica odontológica.

Eu não posso deixar os artigos no formato PDF para vocês aqui, infelizmente. O link para o fascículo está aqui: http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/jor.2008.35.issue-7/issuetoc

Quem não conseguir acessar, me escreva! juliana.dentista@gmail.com 😉

Para ler mais sobre bruxismo: https://julianadentista.com/category/bruxismo-2/

Enquanto escrevia esta postagem, o Zé rangia o seu bico! Hora de colocar ele na gaiola! Bom final de semana!!

 

Um pensamento sobre “Mais do mesmo…

  1. adoro seus posts…. nao é repetitivo, nao…. é estimulante mesmo…. Obrigada!!!

Os comentários estão desativados.