7 anos!!

20 de fevereiro se tornou uma data especial em minha vida. Foi quando num dia chuvoso eu sentei em frente do computador e escrevi algumas palavras no WordPress, dando início a este blog!

7-anos-001

7 anos, sim, 7 anos se passaram e posso dizer que de certa forma o blog conseguiu transformar a minha vida, e para melhor.

Hoje posso dizer que consegui um espaço para falar diretamente com o profissional da saúde, sem barreiras, sem edição. Sou eu mesma escrevendo e compartilhando. Isso me traz uma satisfação gigante!

Obrigada aos todos os leitores, àqueles que me acompanham em toda a postagem, aos que buscam posts antigos e escrevem para comentar, aos alunos que chegam aqui pelo conteúdo online das aulas, a todos que se interessam por Dor Orofacial, Disfunção temporomandibular, Bruxismo, Cefaleia, Fibromialgia, Dor Neuropática, Dor Crônica e fazem o que podem para proporcionar bem estar aos seus pacientes.

A audiência ano a ano só aumentou!

captura-de-tela-2017-02-20-as-14-06-35

E tradicionalmente, vou colocar a lista de artigos mais lidos no blog, no último ano (com comentários meus)!

  1. Manobras para (des)travamento da ATM – parte 1 (acho que por ser um artigo SOS é muito acessado sempre!)
  2. Trismo, quando a boca não quer abrir (impressão minha ou travar os movimentos mandibulares é um sinal realmente intrigante para o clínico?)
  3. Ardência bucal, afinal o que pode ser? (campeão de audiência entre leigos! Recebo pacientes, mensagens, emails, sinais de fumaça todos os dias com pessoas que buscam diagnóstico para este sintoma! Profissionais, é preciso falar sobre ardência).
  4. Neuralgia do Trigêmeo (que bom que as pessoas se interessam por esta condição. O diagnóstico precoce reduz o sofrimento do paciente).
  5. Barodontalgia: dor de dente por diferença de pressão atmosférica (poucos sites na internet em lingua portuguesa falam sobre o assunto. Sintomas que deixam o clínico confuso).
  6. Neuropatias pós implantes dentários (os casos de dor persistente pós implante em meu consultório já superam os pós endodontia. É preciso entender que o problema não está na técnica empregada)
  7. Manobras para (des)travamento parte 2 (e a saga continua… rs)
  8. Síndrome do queixo dormente (caso desafiador que atendi uma vez)
  9. Controle do bruxismo infantil (tudo dirigido para crianças dá mais ibope! rs)
  10. Desvio e deflexão (confesso que este post aqui me surpreendeu! Sinais característicos de problemas mecânicos na ATM).

Tá aí! Acho que estes posts servem de inspiração e guia sobre o que escrever… então vamos lá para comemorar sempre mais e mais anos.

Leitor querido, obrigada!

Bom carnaval a todos! Alalaou!

 

 

Sites com teses sobre dor orofacial

teses-downalod-001

Hoje estava navegando na rede social Research Gate quando me deparei com alguns projetos de pesquisa na área de DTM e Dor Orofacial.

Dentre estes projetos estava a pesquisa que gerou a tese de Doutorado de Mohammad Al-Harthy, orientado pelo professor Thomas List e que teve como co orientadores Ambra Michelotti (que estará aqui no Brasil em Junho no Congresso Brasileiro de Dor Orofacial! Saiba mais em http://bit.ly/sbdof2017),  Richard Ohrbach,  Ewacarin Ekberg

Mohammad Al-Harthy escreveu sobre as diferenças culturais em pacientes com DTM e realizou um estudo multicêntrico. Clique aqui e leia o trabalho que rendeu 4 artigos (a tese é em formato de artigo).

Além desta é possível vasculhar todo o acervo de teses desta Universidade (clique aqui) e buscar especificamente o assunto que lhe interessa pelas palavras chave (temporomandibular e orofacial, por exemplo).

 

Esta tese me fez lembrar que há uma outra fonte de trabalhos gratuitos para quem quiser estudar DTM e Dor Orofacial: as teses e dissertações que ficam disponíveis online!

Isso me fez lembrar que em  2010 escrevi no blog sobre este assunto mostrando os sites de Universidades Brasileiras que disponibilizavam as teses para leitura.

Estes são os links que citei na época.

http://www.teses.usp.br

http://cutter.unicamp.br/

http://www.athena.biblioteca.unesp.br

http://www.bdtd.unifesp.br

O site do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia também dá acesso a teses e dissertações de todo o Brasil, mas para que você encontre as abertas, você deve clicar em openacess depois da busca (está no menu do lado esquerdo!). É bacana porque reune várias instituições do Brasil! Fiz uma busca e encontrei 360 trabalhos com a palavra temporomandibular no título. É coisa pra caramba!

Segue o link: http://bdtd.ibict.br/vufind/

Na Faculdade de Odontologia de Bauru – USP, professor Paulo Conti já orientou vários trabalhos interessantes e 25 deles estão disponíveis para download gratuito no site Teses USP (em português, gratuito… imagine que é como ler 25 livros sobre o assunto!). 

Não perca a chance de ampliar seu conhecimento sobre DTM e Dor Orofacial!

Boa semana a todos!

Falando nisso….

Recebi a informação que poucas vagas estão disponíveis para o curso de Atualização em DTM e Dor Orofacial do Bauru Orofacial Pain Group, coordenado pelo Prof. Paulo Conti.

Se você está interessado, corra e aguarde sua vaga! 🙂

Informações com Tamires no 14 32341919 ou contato@ieobauru.com.br

ultimas-vagas-001

Novo post: vídeo sobre autorregulação trigeminal

Postei hoje mais cedo no Facebook (já curtiu a página? Não? Vá lá! www.facebook.com/dororofacial) sobre um vídeo que adquiri e fiz download. É uma ótima ferramenta para orientação de pacientes com DTM. Eu adorei!

Como muitos me perguntaram sobre ele, pedi então que o colega André Porporatti, um dos idealizadores deste vídeo, escrevesse sobre o mesmo. Segue abaixo:

O vídeo da Terapia de Autorregulação do Sistema Trigeminal foi lançado com o intuito de fornecer uma ferramenta de apoio ao cirurgião-dentista capacitado no atendimento de pacientes com Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial. Seu objetivo é, através de imagens, orientações e dicas para o auto-estudo, sugestionar ideias e transformações na vida de nossos pacientes, promovendo assim uma melhor qualidade de vida.

Esta terapia se constitui de 7 passos simples

Sucintamente estes passos incluem:

1)   Como evitar hábitos deletérios

2)   Não sobrecarregar músculos e articulações

3)   Manter boa postura

4)   Fazer alongamentos dos músculos cervicais.

5)   Termoterapia.
6)   Dicas para um sono melhor

7)    Incentivo à pratica de  exercícios físicos

Trata-se de um vídeo simples com a duração total aproximada de 8 minutos e com tamanho de 30 MB que pode ser regravado e  distribuido aos pacientes como forma de auto-estudo caseiro.

Lembrando que o nosso objetivo é melhorar a qualidade de vida destes pacientes.

Obrigado!

Para maiores informações entre em contato pelo email com

André Porporatti

andreporporatti@yahoo.com.br

 O vídeo pode ser adquirido pelo site: http://uploadnsell.com/buy/gRuyEy
Abaixo uma amostra do mesmo:

Artigo perdido no armário

Ontem fui organizar pela milésima vez o armário onde guardo os artigos que imprimo. Ainda bem que hoje com toda a tecnologia disponível o que menos uso é a impressora. Não teria espaço para tanta coisa. Mas sempre há um artigo ou outro que gosto de imprimir para ler e reler mais atentamente. O que acontece é que se deixo na mesa vira uma bagunça só e se guardo no armário, esqueço que existe!!!

Isso aconteceu com um artigo dos professores Klasser e Greene que encontrei ontem que foi publicado em fevereiro de 2009. Imprimi e não li. Adoro os artigos do professor Charles Greene e já o citei aqui no blog aqui e aqui. Ele aborda temas polêmicos com muita clareza.

Atraída pelo título (The changing field of temporomandibular disorders: what dentists need to know – O campo de mudança nas disfunções temporomandibulares – o que os dentistas devem saber) resolvi dar uma pausa na poeira e ler o dito cujo.

A parte específica sobre etiologia me chamou a atenção.

Este trecho começa com uma frase publicada pelo professor Greene onde ele relata a necessidade, a ansiedade do  profissional que busca saber a origem da dor do paciente, em especial na ausência de uma lesão explícita. E neste contexto o texto segue descrevendo que dependendo do campo da Odontologia ou de outras áreas da saúde em que a DTM for abordada, várias hipóteses etiológicas possivelmente são descritas. Cita como exemplo a ortodontia que aborda a hipótese com conceitos de desarmonia estruturais ou fisioterapeutas que se baseiam na noção de que a “má” relação craniocervical possa causar uma DTM. Os autores demostram que vários estudos já foram realizados e que estas condições parecem ser mais comórbidas a DTM do que realmente fatores causais, apesar que sutilmente relatam que muitos ainda não entendem este conceito. Depois escrevem também a questão da oclusão, especialmente na área da reabilitação oral, cuja relevância na etiologia das DTMs é questionável, sobretudo em condições crônicas. Quando condições oclusais são associadas a DTM, estas variam tanto que é impossível indicar uma situação específica.

Fatores como micro e macro trauma, fatores psicológicos são citados e os autores fazem um comentário interessante sobre o modelo biopsicossocial. Relatam as limitações dos procedimentos de diagnóstico assim como das ferramentas psicométricas utilizadas na clínica o que leva acarreta na inabilidade de se acessar todas as variáveis (biológica, psicológica e social) envolvidas neste modelo.

Quero aqui destacar uma frase:

Os autores expuseram o exemplo de dor em ATM, sem um evento específico desencadeante ou uma causa plausível, que pode ser controlada com medicamentos, dispositivos interoclusais e fisioterapia em várias combinações.

Este trecho encerra citando que por estes conceitos fundamentais, dentistas podem utilizar terapias “low-tech and high-prudence” na abordagem do paciente com DTM.

O texto segue relatando as futuras direções no campo das DTMs, sobretudo com relação a genética, patofisiologia e fatores preditivos.

Vale a pena a leitura e reflexão!

Acho que se este artigo fosse resumido em uma frase seria: quem anda para trás é caranguejo! 🙂 Bora para frente gente!

Quer ler o texto completo também? Clique aqui então: http://www.cda-adc.ca/jcda/vol-75/issue-1/49.pdf

Fascículos sobre dor no site da SBED

Esta é uma dica boa! A Sociedade Brasileira de Estudo da Dor (SBED) está disponibilizando em seu site fascículos sobre dor.

Logo o primeiro deles é sobre DOR OROFACIAL e foi organizado pelo Prof. Dr. José Tadeu Tesseroli de Siqueira!

Os outros fascículos são sobre dor neuropática, musculoesquelética, na emergência, fibromialgia e a diferença entre homens e mulheres na percepção da dor.

Material excelente, de leitura rápida, e melhor, disponível a todos!

Façam download!

Abraços a todos! E que venha setembro e o Congresso de Dor Orofacial da Sociedade Brasileira de Cefaleia. Quem vai???

Site do mês

E aos 45 minutos do fim de maio, estamos novamente com a nossa já famosa coluna: o Site do Mês!

E o site deste mês é um portal voltado a educação em Odontologia, o Dental Health Imaging Hub.

É um site bem interessante que alia vídeos, relatos de caso, ebooks, downloads, artigos de opinião, cursos, imagens, tudo em torno da Odontologia. Realmente um site bem completo. Sugiro o registro (é gratuito) para aproveitarem todo o site.

Pesquei de lá algumas coisas na área de dor orofacial:

Aproveitem e depois me contem o que acharam!

Abraços a todos!!