Sobre o congresso…

“Mas o pulso ainda pulsa”

A dor orofacial levou um grande golpe no último final de semana. Desde jovens adultos até pessoas na melhor idade  participaram desta surra, já há longo tempo merecida. Eram muitos, vindos dos lugares mais distantes deste país, unidos por um só objetivo: linchar a danada.

Havia médicos, dentistas, fisioterapeutas, psicólogos, fonoaudiólogos e tantos mais. Ouvia-se gritos “não adianta fugir”, “se não te pegarmos na periferia, te pegamos lá no centro”. Suas comparsas, as disfunções temporomandibulares, também não escaparam da multidão enfurecida.

E as pessoas, cada uma munida de uma técnica de combate diferente, se revezavam em desferir golpes certeiros e eram aplaudidas pelo grupo, que compareceu em grande número para este momento tão ansiosamente aguardado.

Este ato, que pode parecer covarde, foi simplesmente uma resposta à dor orofacial, quase que uma vingança, por tudo que ela tem aprontado por aí.

Esta saraivada de golpes, no entanto, não foi capaz de acabar com a bandida, é preciso que se continue com os esforços para controlar a bichinha, não podemos baixar a guarda.

E que fique bem claro, mandamos a dor orofacial para o hospital, em estado grave, mas, parafraseando Titãs, “o pulso ainda pulsa… e forte”.

César B. Waisberg

Fisoterapeuta, membro da Sociedade Brasileira de DTM e Dor Orofacial – SBDOF

Recebi este texto logo depois do fim do I Congresso Brasileiro de Dor Orofacial promovido pela SBDOF. Achei lindo e condizente com tudo que queria escrever aqui sobre o evento.

E olha, foi um sucesso! Obrigada, muito obrigada a todos os que compareceram!

Para ver todas as fotos, clique aqui: https://plus.google.com/photos/102682585773033478690/albums/5880190198527624193

Participar da organização foi um desafio e ao mesmo tempo um prazer! Domingo passado me peguei com uma bolha enorme nos pés, dois dedos dormentes e um sorriso enorme no rosto!

Se eu estou envolvida em todo este processo, devo agradecer ao Prof. Paulo Conti. Foi dele a lembrança do meu nome logo nas primeiras reuniões que culminaram na fundação da SBDOF. E no fim do congresso devo contar a vocês que fiquei orgulhosa de ser sua aluna. Ainda tenho que aprender muito com seu raciocínio rápido e cordialidade professor!

Lembro de quando a Simone Carrara começou a planejar o local para o evento. Nos meus melhores pensamentos, achava que conseguiríamos colocar lá umas 150 pessoas (isso contando palestrantes e diretoria). Mas graças a Deus, a Simone é; além de guerreira, super organizada e de extremo bom gosto; uma pessoa otimista! Foi dela a ousadia de abrir mais de 300 vagas. A ela, o presente da sala cheia! Mais de 320 inscritos! A ela a felicidade da confraternização, realizada num ambiente super descontraído, e, pelo que eu soube, todos saíram de lá com sabor de quero mais! Pena que o cansaço me venceu.

Cadeiras vazias na véspera...

Cadeiras vazias na véspera…

Casa lotada no dia!

Casa lotada no dia!

Durante todas as palestras até a última!

Durante todas as palestras até a última!

Os bastidores da organização apenas poucos sabem. Foi intenso. Entre telefonemas, emails e whattsapp fomos resolvendo cada detalhe com relação às inscrições e devo adiantar que o dono da paciência do mundo foi o Rodrigo Wendel (só de aguentar meus telefonemas, já ganha o Oscar, não é?). Quando recebi a placa de homenagem (sim, fui homenageada!! :)) só pensei em dividi-la com ele! Muito obrigada amigo! E lembre-se que o trabalho não acabou e que logo vou te ligar para resolver mais uma pendência (rsrsrsrs).

Na véspera, arrumando a secretaria até a 1 da manhã! Olha a animação... rs

Na véspera, arrumando a secretaria até a 1 da manhã! Olha a animação… rs

E o que dizer Padula? Entramos para a primeira divisão? A especialidade que sempre é criticada por nós como sendo da série B do Brasileirão, acho que marcou um gol importante e agora pode disputar a melhor categoria do campeonato! Mas precisamos manter o foco, divulgar ainda mais, nos valorizarmos! O Padula trabalhou como um técnico junto aos expositores neste evento. Parabéns pelo sucesso do Thermomaxx! Quando fui buscar um para mim, estavam esgotados! 🙂

Quando pensamos em um congresso, um evento científico, seria impossível realizá-lo sem a presença de exposição de trabalhos científicos. E como queríamos que fosse justa a escolha do melhor trabalho! Critérios de avaliação foram discutidos por email até se chegar num consenso. E não poderia haver melhor comissão avaliadora composta pelo coordenador Rafael Santos Silva e os professores Reynaldo Leite Martins Jr e Adriana Lira Ortega. Fui cruel com eles e com todos da organização neste momento. Primeiro porque não podíamos atrasar no intervalo (afinal há as apresentações), segundo porque não deixava eles nem tomarem um cafezinho no intervalo! Rs… E trabalharam duro estes avaliadores! Com uma dificuldade extra: os trabalhos científicos expostos estavam ótimos! Como escolher o melhor? A saída foram as menções honrosas. Iriam escolher um, depois três e por fim, não teve jeito, foram três menções honrosas e um premiado como o melhor trabalho.

Olha aí a comissão avaliadora dos trabalhos científicos!

Olha aí a comissão avaliadora dos trabalhos científicos!

E aqui no conclave! E eu esperando a fumacinha branca...

E aqui no conclave! E eu esperando a fumacinha branca…

A criação do prêmio Prof. Eleutério Martins foi a cereja do bolo! Que linda a emoção de sua filha Maria Cristina Martins na plateia ao ouvir as palavras do professor Paulo Conti sobre seu pai. Eu segurei o choro quando recebi a minha placa de homenagem, mas neste momento, não consegui o mesmo.

Tirei o chapéu para Rodrigo Fernandes e Marília Bizinoto. Junto com a Simone Carrara formaram a equipe organizadora e correram (MUITO) atrás dos preparativos para que tudo desse certo. Rodrigo foi incansável também na secretaria, junto ao pessoal do audio visual, um verdadeiro faz tudo. Marília abrilhantou o evento como mestre de cerimônias. Vocês foram demais!

Os palestrantes foram fantásticos. Foi muito bom ouvir de todos a satisfação em ver a plateia lotada. Obrigada.

Aos moderadores, sócios efetivos da SBDOF, o papel de vocês foi crucial para o bom andamento do congresso, obrigada.

E como este texto está longo prá caramba e quero ainda colocar aqui as fotos, vou agradecer a algumas pessoas em especial.

Primeiro a Daniela Godoi Gonçalves por sua contribuição a diretoria da SBDOF e por aparecer tão cedo no primeiro dia (rs). Seu sorriso acalma! Também às meninas de Araraquara (Paula Jordani, Fernanda Bonafé e Giovana Fernandes) que auxiliaram com os microfones durante a sessão de perguntas. 🙂

À Denise Cahnfeld (caixas e caixas de pastas trazidas por ela!), Danniela Gaio, Walter Morais, Ariane Nagib, Paulo de Tarso, José Peixoto, por estarem presentes seja na véspera, quando organizamos as pastas e crachás, seja na secretaria do evento, seja ajudando o pessoal a colocar os painéis.

Se esqueci de alguém, me perdoe.

Montagem feita pelo colega Marcelo Ugadim mostrando que a gente tira a foto oficial e depois se reúne para pensar no próximo passo logo após o apito final!

Montagem feita pelo colega Marcelo Ugadim mostrando que a gente tira a foto oficial e depois se reúne para pensar no próximo passo logo após o apito final!

A lição que tirei de tudo isso é que se quisermos algo de bom na nossa especialidade, a união deve prevalecer.

Valeu a pena! Diretoria SBDOF

Valeu a pena! Diretoria SBDOF

Espero voltar com a programação normal esta semana! Abraços e bom domingo!!!

E a minha placa!! Feliz com a homenagem da diretoria SBDOF! Obrigada! :)

E a minha placa!! Feliz com a homenagem da diretoria SBDOF! Obrigada! 🙂

5 pensamentos sobre “Sobre o congresso…

  1. Que lindo texto! Que honra poder fazer parte dele! Que venham os próximos congressos, e que o sucesso só aumente!!

  2. Juliana, você e todos da diretoria foram muito guerreiros, demonstraram uma capacidade incansável de organização e desprendimento pessoal para que tudo fosse um sucesso. A homenagem que recebeu não poderia deixar de ser tão merecida. Eu pessoalmente estou muito gratificado por ter estado junto de todos. Grande abraço!

Os comentários estão desativados.