De um limão sai uma limonada…

Há muito tempo as redes sociais virtuais passaram a fazer parte de nossa vida. Para a especialidade de dor orofacial ja perdi a conta de quantos fóruns, listas de emails, comunidades de orkut, twitter, blogs e agora facebook já participei ativamente, discutindo assuntos ou apenas observando.

No facebook há um grupo ativo e numeroso, o DTM e Dor Orofacial que foi criado pelo colega e professor João Tanganeli. Ao observar o grupo, surgiu a ideia de um editorial sobre a especialidade na revista da APCD central.

A professora Adriana Lira Ortega fez a divulgação ontem do editorial, escrito pelo professor Fausto Mendes que transcrevo logo abaixo. Infelizmente, a revista tem direitos autorais restritos que impede aqui a divulgação na íntegra. Com certeza será uma ótima leitura. Não vejo a hora do meu exemplar chegar aqui no interior!

Texto divulgado por Adriana Lira Ortega e escrito por Fausto Mendes:

Olá colegas! A revista da APCD desse mês tem como capa e enfoque principal a especialidade DTM/DOF. Ficou muito boa e a seção “Excelência em Odontologia” foi escrita pelo colega Leonardo Bonjardim (que não tem foto na edição). 

Transcrevo aqui o editorial do colega Fausto Mendes
“Primeiramente, em nome de todo o Corpo Editorial e do Editor Científico da Revista
da APCD, professor Marcelo Bönecker, gostaria de desejar um maravilhoso 2013 a todos os nossos leitores e colaboradores.
O assunto que será abordado na Matéria de Capa é Dor Orofacial. A ideia sobre este
tema surgiu de um grupo de discussão bastante ativo de uma conhecida rede social. Nesse grupo, os participantes debatem de forma bastante calorosa sobre diversos assuntos relacionados à prevenção e tratamento da Dor Orofacial. Podemos encontrar de tudo: propagandas de produtos e clínicas, divulgação de congressos científicos, técnicas de manejo da dor totalmente desprovidas de qualquer evidência científica, mas também postagens de artigos sérios e condutas clínicas baseadas em evidência. Como o assunto é controverso, cirurgiões-dentistas seguidores de filosofias divergentes batalham defendendo suas crenças e refutando as colocações dos grupos rivais. E o que isso tem de interessante? Além da ideia para essa edição, muitos tópicos são discutidos em alto nível, e é uma forma de levar a boa pesquisa para os clínicos, aproximando a melhor evidência científica da prática clínica.
A aproximação das redes sociais com a pesquisa científica já é uma realidade. Recentemente, li um artigo que mostra que os autores que postam seus artigos nas redes sociais aumentam a chance de serem citados por outras pesquisas. As redes sociais têm se tornado importantes mídias de divulgação da ciência. Há pouco tempo, um pesquisador extremamente produtivo da Odontologia começou a participar ativamente de uma rede social. Agora, entre fotos do neto e garrafas de vinho, posta seus artigos e apresentações mais recentes. Isso proporciona aumento da visibilidade da boa pesquisa. Também ficou famoso o movimento dos cientistas de todo o mundo numa rede social (#overlyhonestmethods), onde eles descreviam de forma bem-humorada alguns detalhes da pesquisa que nunca seriam publicados nos periódicos científicos.
Diante desta nova realidade, os cirurgiões-dentistas e os pacientes são os que mais se beneficiam disso. E a Revista da APCD não fica atrás. Quem tiver interesse em acompanhar as notícias da APCD, incluindo assuntos abordados no jornal e na revista, pode entrar nos seguintes links: www.facebook.com/apcdcentral e @apcdcentral (no Twitter). Junte-se a nós! Você terá acesso às novidades e também poderá se divertir um pouco. Afinal, cientistas possuem vida fora da ciência e podem ser bastante bem-humorados.
Boa leitura!
Fausto Medeiros Mendes
Vice-diretor da Revista da APCD

Fiquei feliz porque conheço todos estes nas fotos e quem escreve (este tal Leonardo Bonjardim, sem foto, rs) é uma das pessoas mais bacanas que já conheci neste meio da dor orofacial! 🙂

2 pensamentos sobre “De um limão sai uma limonada…

  1. Poxa, fiquei com o paladar aguçado pra experimentar o prato principal!! Sou do PR, vc sabe se há alguma forma de conseguir essa revista?

Os comentários estão desativados.