Paper publicado – fica a dica

Dica de leitura para quem quiser refletir mais sobre DTM: saiu um artigo sábado dos Professores Charles Greene e Daniele Manfredini – Transitioning to Chronic TMD Pain: A Combination of Patient Vulnerabilities and Iatrogenesis. 

Tradução do resumo:

Este artigo descreve conhecidos fatores de vulnerabilidade que tornam os indivíduos suscetíveis ao desenvolvimento de disfunções temporomandibulares (DTMs), bem como aqueles que contribuem para a perpetuação desses problemas. Além disso, o tópico da iatrogenia é discutido como um dos principais contribuintes para os resultados negativos que podem ser vistos neste campo. 

No nível do paciente, fatores anatômicos, psicossociais e genéticos podem contribuir para a vulnerabilidade individual. A anatomia e a fisiopatologia dos músculos, articulações, disco e nervos podem estar envolvidas na predisposição aos sintomas de DTM, especialmente quando os pacientes têm dor em outras partes do corpo. 

Entre os fatores psicossociais, algumas características podem ser elucidadas pelo eixo II do DC / TMD, enquanto outras (por exemplo, comportamento de doença, síndrome de Munchausen, falta de aceitação de abordagens não mecânicas) requerem avaliação cuidadosa por profissionais treinados. 

A predisposição genética para o início das DTMs e para a cronificação dos sintomas foi identificada em indivíduos com certas características psicológicas, presença de comorbidades e certas manifestações clínicas anormais. 

Em relação à iatrogenia, os pecados de omissão podem influenciar o quadro clínico, sendo os principais o diagnóstico incorreto e o subtratamento. Estratégias de reposicionamento articular, modificações oclusais, abuso de aparelhos e placas orais, solicitação indevida de imagens e uso de tecnologia diagnóstica, efeito nocebo e complicações com tratamentos intracapsulares são os fatores mais frequentes que podem contribuir para a cronificação das DTMs. 

Link para o artigo completo: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1111/joor.13180

Um pensamento sobre “Paper publicado – fica a dica

  1. Obrigada Juliana Um artigo que nos conforta lê-lo em saber que o tratamento nem sempre é devido à uma única causa! Abraço Bia

Os comentários estão desativados.